Competitvidade: mercado, Estado e organizações

Título: Competitvidade: mercado, Estado e organizações

Autores: Maria Sylvia Machionne Saes, coautoria com Elizabeth Maria Mercier Querido Farina, Paulo Furquim de Azevedo

Resumo/Sinopse: Dividida em três partes, a obra une os conceitos da Nova Economia das Instituições e da Teoria de Organização Industrial à análise da competitividade nos sistemas agroindustriais do leite, trigo e café.
Apesar de sua coesão, o livro também permite que suas partes sejam lidas separadamente e também por públicos diversificados. A união de conceitos à aplicabilidade prática torna a obra acessível e útil aos meios acadêmico, empresarial e ao setor público.
A primeira parte do livro, intitulada A Nova Economia Institucional, apresenta uma abrangente revisão dessa teoria, demonstrando as contribuições para o seu desenvolvimento, as premissas nas quais se sustenta a teoria e suas proposições.
Na segunda parte do livro, Regulamentação, Política Antitruste e Política Industrial, a Teoria de Organização Industrial serve como subsídio para a discussão sobre a concorrência em seus variados aspectos. Analisam-se os novos papéis da política industrial e da política da concorrência, enfatizando-se o binômio cooperação/competição.
As duas primeiras partes do livro constituem sua fundamentação teórica. O leitor acadêmico encontrará rico material para utilização em disciplinas como Economia Agrícola, Agribusiness, Teoria da Organização, Microeconomia e Organização Industrial. Mas esta característica não torna as duas primeiras partes do livro um material restrito ao uso acadêmico. Desmistifica-se o conceito de teoria. A linguagem utilizada pelos autores não é hermética e apresenta a teoria como uma ferramenta acessível e essencial para formulação de estratégias concretas.
A aplicação dos conceitos desenvolvidos se dá na terceira parte do livro: A Experiência de Regulamentação de Sistemas Agroindustriais no Brasil. Ela é o resultado de uma longa pesquisa desenvolvida entre 1989 e 1996 sobre a regulamentação governamental e as estratégias empregadas pelas empresas industriais. Analisou-se o processo de restruturação de três sistemas agroindustriais concretos: o leite, o café e o trigo, que sofreram rápida e radical transformação provocada pela alteração do perfil institucional brasileiro.
Esta obra busca escapar à simples análise de conjuntura, que logo se torna obsoleta. Sua fundamentação acadêmica, aliada a sua preocupação empírica, faz dela uma obra consistente e de grande utilidade para diversos tipos de leitores.

Data de publicação: março 1997

Periódico/Editora: Singular

Edição: v.1. 286 p.