Uma interpretação alternativa da correlação entre emprego e salários nos estudos de demanda de mão-de-obra

Título: Uma Interpretação Alternativa da Correlação entre Emprego e Salários nos Estudos de Demanda de Mão-de-Obra

Subtítulo: Pesquisa e Planejamento Econômico (No.1, 1976).

Autor: Roberto Macedo

Resumo: Artigo baseado na tese de doutorado do autor na Universidade Harvard (EUA). Analisa estudos de demanda de mão de obra com base em séries de tempo, assentados numa regressão onde o emprego era função da taxa de salário, medida pelo salário-médio, e de uma variável medindo a produção ou o efeito escala. Mostravam um sinal negativo para a variável salário, o que era interpretado como seu efeito preço, inversamente sobre o nível de emprego. O autor argumentou que essa demanda não estava identificada no sentido econométrico e que o sinal negativo se explicava porque os trabalhadores eram despedidos ou admitidos com salário menor com a média. Assim, o salário médio tendia a cair nas fases de expansão do emprego e subir nas fases de contração. Ou seja, a causalidade vinha do emprego para o salário-médio e não vice-versa, numa argumentação sustentada pela teoria dos mercados internos de Peter Doeringer e Michael Piore. Segundo ela, as hierarquias de trabalho nas empresas recrutam primordialmente dentro dela, com a contratação externa concentrando-se nos níveis inferiores dessa hierarquia. Edmar Bacha, autor de um dos estudos criticados, reconheceu que seus resultados eram equivocados.

Periódico/Editora: Pesquisa e Planejamento Econômico

Edição: nº 1

Palavras-chave: Demanda de mão-de-obra, Brasil, contestação, causalidade entre salário médio e emprego